Not cheap but in my eyes a worthy investment. ... Replica Christian louboutin red sole is undoubtably his signature, which can also be the easiest way
Generic Cialis Soft Kamagra Jelly Generic Female Viagra Generic Viagra Super Active Generic Priligy Generic Cialis Professional Generic Levitra Red Viagra Generic Viagra Jelly Generic Levitra Soft Brand Viagra Generic Viagra Caps Kamagra Generic Cialis Daily Viagra Gold Kamagra Polo Cialis Black Generic Levitra Professional Super Kamagra Generic Cialis Super Active
cialis hinta viron apteekissa levitra vaikutus viagra vaikutus kamagra jelly kokemuksia cialis kokemuksia viagra reseptin hankkiminen kamagra kopen in de winkel viagra werking cialis kopen in nederland cialis bijwerkingen kamagra bijsluiter levitra bijwerkingen viagra kopen apotheek cialis erfaring cialis i norge viagra effekt hva er kamagra viagra nettbutikk levitra eller cialis
Viagra bestellen Viagra Tabletten Cialis kaufen Cialis Generika kaufen Viagra kaufen Acheter Kamagra Soft Acheter Kamagra 100mg Acheter Cialis Marque Viagra gebruiksaanwijzing Lida Afslankingskoffie Viagra kopen Priligy kopen met 60mg Dapoxetine Kamagra kauwtabletten kopen Sildenafil Priligy Cialis Jelly
..:: Rede Amiga da Criança - - Rede Amiga da Criança celebra 17 anos
Loading...
Domingo, 27 Agosto 2017 15:00

Rede Amiga da Criança celebra 17 anos

Rede Amiga da Criança celebra 17 anos


Com o tema “O direito de brincar” a Rede Amiga da Criança promoveu ontem (26), na Sede Social dos Metalúrgico, um encontro de crianças e adolescentes em comemoração ao seu 17°aniversario. Durante todo o dia cerca de 200 meninos e meninas atendidos pelas organizações da rede  brincaram livres e espontaneamente, aconteceram também momentos lúdicos e oficinas de fabricação de brinquedos.

A comemoração foi realizada através do projeto Tecendo Redes Sociais apoiado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Maranhão (CEDCA-MA) . A atividade também contou estudantes voluntário da Faculdade Estácio de Sá e CEUMA e  apoio  do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente -CMDCA .  Alegria foi garantida com a participação especial  da Cia Chegança Teatro , com os artistas Afonso Barros e Dati Bezerra e do grupo Medicalhaços.  

Mais Sobre o Tema
ECA e o Direito de Brincar, por Marilena Flores Martins, do IPA Brasil

Várias pesquisas têm demonstrado que brincar reúne todas as condições necessárias para que o desenvolvimento infantil se processe de maneira harmoniosa. A oferta permanente de desafios e interações facilita a formação de vínculos positivos com os adultos, que irão influenciar sua vida futura.

A legislação brasileira reconhece explicitamente o direito de brincar, tanto na Constituição Federal (1988), artigo 227, quanto no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (1990), artigos 4º e 16, mas ainda não oferece as condições para que esse direito seja exercido plenamente por todas as crianças. Outros direitos e princípios do ECA guardam direta relação com o brincar, dentre os quais destacamos, direito ao lazer (art. 4º), direito à liberdade e à participação (art. 16), peculiar condição de pessoa em desenvolvimento (art. 71).

A importância do brincar já foi reconhecida, também, em diversos documentos legais internacionais e nacionais, dos quais destacamos a Convenção dos Direitos da Criança – CDC, no Art. 31. No Brasil existem várias organizações que defendem o direito de brincar, entre elas a IPA Brasil, que compõe a Rede Nacional Primeira Infância ao lado de outras congêneres.

Mudanças profundas nos ambientes urbanos em que as crianças estão crescendo estão tendo um impacto importante sobre a sua oportunidade de brincar. A população urbana está aumentando, assim como a presença da violência em todas as suas formas: em casa, nas escolas, nos meios de comunicação e nas ruas que, ao lado da comercialização das oportunidades para brincar, influenciam negativamente as formas de envolvimento das crianças em recreação, bem como nas atividades culturais e artísticas. Além disso, o papel crescente das comunicações eletrônicas e as crescentes demandas educacionais estão afetando de forma significativa o direito de brincar, principalmente na primeira infância.

As crianças que vivem em situações vulneráveis ficam muito mais expostas às situações de risco que as impedem de participar e de desfrutar dos direitos contidos no artigo 31 do ECA como: direito ao brincar, ao lazer, ao descanso, à cultura, às artes e à convivência com seus pares, participando ativamente da vida comunitária do seu entorno. Para muitas crianças, o trabalho infantil, o trabalho doméstico ou as excessivas demandas educacionais servem para reduzir o tempo disponível para o gozo desses direitos.

Apesar de constituírem um avanço, as atividades lúdicas, do brincar livre, do brincar pelo prazer de brincar, ainda não merecem a devida importância por parte dos diferentes atores que compõem o cenário social: gestores públicos, educadores, lideres comunitários, pais e familiares. Por diferentes razões o tempo gasto com o lazer e o brincar ainda são considerados por muitos setores da nossa sociedade, como tempo perdido e as pessoas que dele fazem uso, como pouco produtivas, superficiais, quando não, irresponsáveis. Para oferecer as condições adequadas para que o brincar aconteça, as cidades precisam criar espaços públicos para todos, propiciando a convivência entre diferentes grupos e idades. Além disso, o empoderamento dos moradores do entorno é fundamental para que esses espaços não se tornem espaços de disseminação das mais diversas formas de violência. Devem, então, ser locais cuidados e não, abandonados. Essa mudança de atitude decorre, sobretudo, da capacitação e comprometimento das pessoas, para que se apoderem positivamente dos locais de convívio.

Marilena Flores Martins, do IPA Brasil.

Galeria de Imagens